Boteco Zé Mané: comidinha de boteco da melhor qualidade

Numa segunda-feira de dezembro o #gastromalucos reuniu-se mais uma vez na incessante busca pela boa comida e boa bebida. Dificilmente damos tiro n’água, onde essa procura resulta-se sempre em “uma enxadada, uma minhoca”. A pedida da vez era algum boteco, comer comidas de boteco, beber bem e jogar conversa fora.

boteco-ze-mane-entrada

Já fui no Boteco Zé Mané umas duas ou três vezes, na primeira inclusive passei por uma situação que relatei aqui no blog de forma generalizada e a proprietária prontamente aceitou a crítica e explicou-se, fazendo o que todos os proprietários de restaurantes em Floripa deviam fazer e não fazem. Só aí ela já ganhou minha eterna admiração.

Mas o tempo passou, voltei lá algumas vezes e só agora fui com o espírito para fazer um review. Até porque estava com vontade de comer o tal Pirão d’água com Linguiça Frita, uma iguaria da nossa região e que esteve muito presente na minha infância na casa da vó.

boteco-ze-mane-pirao-linguica

Pirão bem feitinho, saboroso, sabe? Poucos sabem deixar o pirão gostoso temperando-o bem. A linguiça nota-se que é de boa qualidade, e a gordura que sobra dela — lembre-se que estamos num boteco onde é permitido botar o pé na jaca e comer toda a sorte de gorduras — enriquece o caldo do pirão.

boteco-ze-mane-caldinho-feijao

É claro que não cheguei com os dois pés na porta comendo pirão, havia experimentado no início o Caldinho de Feijão deles. Bem gostoso, sem muito frufru mas temperadinho do jeito que deve ser. Acompanha uma torradinha, bacon frito e é coberto por cheiro verde.

boteco-ze-mane-meio-asa-picante

Depois pedi Meio da Asa Picante, que são o que em alguns lugares chamam de “tulipas de frango”. Mais fritura, claro, não poderia ser o contrário. Ela vem picante na medida até para quem não curte muito pimenta, ou não a suporta em demasia, mas acompanha uma geléia de pimenta, essa sim para quem gosta um pouco mais do condimento.

boteco-ze-mane-ovinho-rosa-choque

A Michele pediu o Ovinho Rosa Choque, que são ovinhos de codorna cozidos e curtidos na água da beterraba para ganhar esta coloração típica dos botecos mais pés-sujos deste Brasil varonil. Um detalhe importante é que eles não usam ovos de codorna e conserva, ficando aquele gosto rançoso de vinagre. Provavelmente são cozidos ali mesmo, de véspera, e têm um gosto muito bom.

boteco-ze-mane-queijo-coalho

Comi também o Queijo Coalho Grelhado, que é acompanhado e majestosamente guarnecido e besuntado com melado de cana. Campeão de audiência das churrascarias, parece-me também que virou iguaria de boteco, quem agradece são os boêmios que precisam fazer a base pra cerveja não pegar muito rápido. Gordura e glicose fazem bem este papel.

boteco-ze-mane-mini-churros

E pra fechar com chave de ouro as comidinhas de boteco que entre um papo e outro iam sendo devoradas, experimentei o Mini Churros. Churros bem fininhos e sem recheio, o que confere aos churros a possibilidade de não ficarem tão passados. Massinha leve e saborosa, acompanha uma canequinha de metal com um saboroso doce de leite para você mesmo colocar.

O cardápio é composto por algumas entradas, quitutes para uma pessoa só, porções para mais pessoas, comidas mais elaboradas na “panelinha” como rabada, vaca atolada e o que me chamou bastante a atenção e que nunca vi por aqui, o Arroz de Puta Pobre. Há também alguns sanduíches e PFs, pra quem dizia que não existia onde comê-lo a noite na capital dos catarinas.

boteco-ze-mane-cachaças

Algo que me chamou bastante a atenção é que ficamos numa mesa ao lado de uma imensa adega de cachaças. Não suficiente, havia, inclusive, uma CARTA de cachaças das mais variadas, separadas por região e por qualidade. Mais de 100 rótulos para atender todos os gostos e preferências daqueles que não vão a um boteco sem experimentar a deliciosa bebida mais popular deste país.

O atendimento da casa funciona. Um pouco demorado, verdade, mas funciona sem grandes problemas. Isso foi algo que notei vezes em que visitei o Boteco. Mas nada que manche a experiência gastronômica e o prazer de estar com bons amigos falando mal da vida alheia.

A conta fechou em cerca de R$80 para duas pessoas.

Excelente dica pra quem está por Coqueiros e quer enfiar o pé na jaca!

Boteco Zé Mané

  • Endereço: R. Desembargador Pedro Silva, 2360. Coqueiros, Florianópolis.
  • Telefone: (48) 9962-6258
  • Aceita cartões: sim
  • Wifi: sim
Compartilhe no Facebook

Tags: , , , , , , ,

Autor:Daniel Becher

Catarinense de nascimento, gaúcho de coração. Aprendiz de churrasqueiro e entusiasta das culinárias regionais.

Subscribe

Assine os feeds, receba por e-mail e nos acompanhe no Twitter e Facebook!

3 Responses to “Boteco Zé Mané: comidinha de boteco da melhor qualidade”

  1. Maninho Venera
    16 de dezembro de 2013 at 2:55 am #

    Fui lá em setembro era comemoração do aniversário de un amigo, o lugar é muito top, ambiente super descontraído, comida excelente e os preços bem generosos, vale muito a pena mesmo.

  2. Guilherme Bossle
    20 de janeiro de 2014 at 8:44 pm #

    Em minha opinião, o melhor bar/boteco da Grande Florianópolis. Comida de qualidade, atendimento excelente, reunidos num local espetacular, tanto na estrutura física quanto na paisagem. É incrível a atenção aos detalhes da decoração. O cardápio com nomes alusivos ao linguajar ilhéu é outro atrativo. Não é à toa que está sempre cheio, de segunda a domingo. Como sugestão, experimentem a coxinha de feijoada. Vale à pena. Abraço.

  3. Mario César Venera
    29 de janeiro de 2014 at 9:07 am #

    Fui lá uma vez ano passado até comentei, só que ultimamente está difícil de entrar, sempre lotado e fila de espera, lugar bom com comida boa e preço justo é disputado em floripa.

Faça um comentário