Receitas/ Risottos

Risotto de Shitake e Gorgonzola

Eu nunca havia cozinhado com arroz arbóreo. Shame on me, eu sei, apesar de não ser como fazemos com arroz normal, deixar no fogo e ir assistir o jogo de futebol, não é um bicho de sete cabeças. Claro que para os mais perfeccionistas, acertar o ponto certo do risotto é uma tarefa de pura concetração e feeling.

Manteiga SanCor: uma das pessoas que vendem tabletes de 100g, sem desperdícios

Manteiga SanCor: uma das pessoas que vendem tabletes de 100g, sem desperdícios

De qualquer forma, o fato é este: eu nunca havia feito. Até agora. Faz meia hora que comi um risotto de shitake, o qual transcreverei a receita que aprendi nos próximos parágrafos, e flertei com a delícia que é esse arroz.

O arroz arbóreo é indicado para risotos pois possui bastante amido e, mesmo depois de um período maior de cozimento, continua firme por dentro. Além disso, juntamente com o arroz selvagem, é o mais magro dos tipos, com 15 calorias por porção de 10g.

Sem mais delongas, vamos aos fatos!

Ingredientes

Corte o shitake em fatias não muito pequenas

Corte o shitake em fatias não muito pequenas

  • 1 cebola pequena
  • 2 xícaras de arroz arbóreo
  • 3 colheres de sopa de manteiga
  • 1 copo de vinho branco
  • 2 tabletes de caldo de galinha
  • 1/2 xícara de queijo gorgonzola
  • 1/2 copo de creme de leite (fresco, se possível)
  • 200g de cogumelo tipo shitake

Como fazer

 

Numa panela, aqueça 1 litro de água. Dissolva nessa água os doi tabletes de caldo de carne e não desligue, mantenha o fogo baixo ligado.

Dica importante: mexer sempre.

Dica importante: mexer sempre.

Em outra, dê uma leve refogada no shitake com um pouco da cebola e uma colher de manteiga.

Na terceira e última panela, refogue então o restante da cebola nas duas colheres de manteiga, junto com o arroz. Uma rápida e leve fritada e coloque o copo de vinho branco.

Agora começa a parte mais trabalhosa, vá acrescentando o caldo com uma concha na panela principal, mexendo sempre. Repito: mexendo SEMPRE, o arroz grudará fácil se não fizer. Quando ele esboçar que vai secar, coloque mais uma concha e assim por diante. Repita o processo até que o arroz perca aquela cor branca mais forte e for soltando bastante amido, vá experimentando. O ponto que eu fiz foi um pouco depois do famoso “al dente”.

Acrescentando o shitake ao risoto

Chegando nesse ponto, adicione o queijo e o shitake. Misture bem. Coloque o creme de leite, mais umas boas mexidas e voilá!

Hora do sacrifício!

Hora do sacrifício!

Corrija o sal e sirva quente.

PS: algumas receitas que consultei recomendam também o queijo parmessão ralado na hora, algo como duas colheres. Esteja a gosto!

You Might Also Like

Nenhum comentário

Comente