Americano/ Estados Unidos/ Hamburguer/ Orlando/ Review

Shake Shack: porn food na International Drive de Orlando

Planejar uma viagem sempre é uma aventura. Embarcamos num mundo imaginário sem nem estarmos presente. Definir locais de visita, atrações, hospedagem e, é claro, onde comer. Me torno repetitivo ao citar Carla Pernambuco, quando ela diz que toda viagem é gastronômica.

Ir aos Estados Unidos, então, é ter um combo completo de experiências. Principalmente se o seu destino for Orlando. Mas afinal, o que e onde comer em Orlando? Óbvio, o que eles sabem produzir melhor (depois de entretenimento): hambúrguer.

Conhecer uma das unidades da Shake Shack, famosa rede americana de burgers, é fundamental, assim como ir ao Magic Kingdom e bater uma foto em frente ao castelo da Cinderela. E vocês entenderão os motivos logo abaixo.

SHAKE-SHACK-I-DRIVE-360-10

Localizada na International Drive, mas que poderia chamar-se Brazilian Drive, a casa é muito movimentada, pois fica anexa ao I-Drive 360, famoso centro de entretenimento que conta com uma unidade do museu de cera Madame Tussauds, do Sea Life Orlando Aquarium e da magnífica Orlando Eye, uma roda gigante de mais de 120 metros de altura que permite aos “passageiros” uma vista em 360º da cidade, além disso, durante a noite, nos presenteia com lindas combinações de luzes.

SHAKE-SHACK-I-DRIVE-360-11

Feito as visitas e fotos de turistas, vamos ao que interessa: os burgers.

Enquanto aguardávamos na fila, pudemos escolher quais das opções gostaríamos. Nos EUA, as lanchonetes são bem objetivas, digamos que o Shake tinha bastante opções. As diferenças, no entanto, são bem sutis.

SHAKE-SHACK-I-DRIVE-360-00 SHAKE-SHACK-I-DRIVE-360-03 SHAKE-SHACK-I-DRIVE-360-01 SHAKE-SHACK-I-DRIVE-360-02

Eles dispõe também de opções de dogs, shakes, por óbvio, e chocolate quente.

O diálogo com a atendente foi um pouco sofrível, nosso inglês é deplorável. Por “sorte”, havia um mexicano na chapa que compreendeu um pouco e nos ajudou, na medida do possível. Aliás, em qualquer lugar haverá um latino para te ajudar. Fique tranquilo.

Depois de fazer o pedido, o difícil foi encontrar uma mesa. A disputa é quase no tapa.

SHAKE-SHACK-I-DRIVE-360-04

Ao finalizar o pedido, você recebe um sinalizador que avisa quando o pedido está pronto. Obviamente, ele vibra.

SHAKE-SHACK-I-DRIVE-360-05

De imediato, peço desculpas pelo estouro em amarelo das fotos. Estava muito neurvosor e esqueci de balancear o branco da câmera: um dia inteiro na Disney e burger a noite nos deixam com severas sequelas mentais.

Eu havia pedido um Hamburger Double com bacon, que na verdade veio simples e sem bacon, assim com o da Samantha.

SHAKE-SHACK-I-DRIVE-360-06

E o mais especial: batata com queijo. Sério, é difícil descrever tudo isso. É #pornfood total. É entrar no junk food de cabeça e ser feliz. Abdique de conceitos pré-existentes de hambúrguer e vá fundo.

SHAKE-SHACK-I-DRIVE-360-07

A batata, ondulada, não é tão crocante, na verdade, ela não é tão saborosa, a salvação é o queijo. É estupidamente deliciosa. É libertador comer isso depois de um dia de esgotamento e muita caminhada.

O sanduíche em si, devo dizer, achei ele muito pequeno. Um tanto quanto decepcionante pelo tamanho. Mas ele é muito saboroso. Nitidamente, o pão é diferente, mais macio, bem torradinho por dentro, o queijo derrete uniformemente na carne, que não é exagerada em temperos, tem o seu próprio sabor.

Mas como estávamos ali pelo exagero e eu precisava comer ao menos uma fatia de bacon, fiz questão de repetir a dose. Dessa vez o pedido veio correto. Frisei bem, com meu inglês de carcamano, a adição do defumado.

SHAKE-SHACK-I-DRIVE-360-08

Agora com o balanço correto de branco (o qual demorei para perceber), é possível notar que o bacon não estava muito crocante, mas estava bem quentinho, generoso e saboroso. Há uma leve diferença para os nossos. É tão bom quanto. O molho da casa é bem generoso, mas não rouba o sabor dos demais itens.

SHAKE-SHACK-I-DRIVE-360-09

Como o hambúrguer não é muito alto, não há uma preocupação quanto ao ponto da carne. O bom é que sempre vem a famosa sujeirinha da chapa para deixar o sanduíche ainda mais junk.

Pagamos aproximadamente U$30 por três sanduíches, duas batatas, uma água e um refrigerante grande. Obviamente, se fizermos uma rápida conversão, vai parecer caro. Mas, por favor, não faça essa bobagem ao entrar numa lanchonete americana. Economize no outlet, mas jamais na comida. Ela faz mais parte da experiência da viagem do que uma simples camiseta. Isso você compra aqui.

E, por favor, não deixe de ir ao Shake Shack. Se você estiver em dúvida de onde comer na terra da magia, inclua esse delicioso lugar em seu roteiro para Orlando.

Shake Shack

  • Endereço: 8359 International Drive, Orlando, Florida, Estados Unidos
  • Estacionamento: Sim

You Might Also Like

4 Comentários

  • Responder
    Marcela
    15 de março de 2016 at 11:45 pm

    Fui no Shake Shack de NY e foi bem decepcionante! Na minha opinião, o hambúrguer do Madero é melhor…

    • Responder
      Everton Veber
      16 de março de 2016 at 9:04 am

      Apesar de serem propostas diferentes, eu prefiro o Shake. Aliás, trocaria uma unidade dele por todas essas hamburguerias gourmet que temos aqui.

  • Responder
    Gabriela
    14 de abril de 2016 at 1:32 pm

    Vi tua postagem no CDO, adorei o post e o blog! quando fui ainda não tinha em orlando e não provei em miami… dessa vez é parada certaaaa!

    • Responder
      Everton Veber
      14 de abril de 2016 at 1:34 pm

      Olá, Gabriela!
      Agradeço pelas palavras. Teremos mais dois posts de lá, fique atenta!
      O Shake é incrível, vale muito a pena!

    Comente