Café/ Review

Fairyland Café & Cupcakeria, onde os ladinos se encontram

Ladino. Diz o dicionário daquele que tem astúcia. La.di.no, só os astutos sabem separá-lo silabicamente. É um adjetivo, já notaram os espertos. E os ladinos.

“Tu és ladino!“, dizia minha avó,  quando eu tinha alguma atitude de esperteza, tanto para elogios como admoestação. Que Deus a tenha! eu não acredito n’Ele, mas ela acreditava, e muito, e ela era ladina. Vim de uma família de ladinos.

fairyland-cupcakes-entrada

A Michele, que fez o convite e publicou o primeiro review na Internet sobre a Fairyland Café & Cupcakeria, é ladina. Os ladinos tem esse tino. Tino é substantivo mas dá qualidade, qualidade nativa dos adjetivos, a de quem tem juízo. “Tu tens medo mas não tens juízo!“, dizia meu avô, que sabia muito bem me fazer recobrar o tino. O vô era ladino mesmo com um olho de vidro, perdido pela explosão de uma granada, numa das poucas vezes no exército onde lhe faltou o tino.

Porque sou ladino e tenho o tino, mesmo depois de uma empreitada cansativa para comprar presentes de Natal em um Shopping Center às vésperas do aniversário do filho daquele em quem não acredito, resolvi aceitar o convite da nobre amiga. Nunca me arrependi das suas sugestões, a quem Deus nunca deixe faltar o tino. Amém.

fairyland-cupcakes-ambiente

Cheguei no endereço informado e agradeci a Deus. Não só pela aconchegante casa bonita por fora e muito bem decorada por dentro, com mesas convidativas e confortáveis, objetos bem espalhados nas paredes e nas velhas cristaleiras, do tempo do meu avô,  mas pela vista exuberante que o local apresenta. Nada menos que o mar de Santo Antônio de Lisboa, aquele que intercede a Deus pelos casamentos, que podem muito bem começar com uma xícara de café no Fairyland Café & Cupcakeria.

É lugar pra levar a namorada, o namorado, o ficante, a família, os colegas de trabalho. Quem tem tino sai de lá com uma companheira ladina pra esquentar as intempéries de agosto que Deus manda.

Pode não parecer ladino, mas eu comecei experimentando os doces. Achava que ia ficar só no cupcake. Não mostrei astúcia quando troquei três vezes o primeiro pedido, que eu achei que seria o único, pois não me decidia nos sabores dos bolinhos. Até pedi um não-bolinho. Vi de relancina a minha avó, com uma sandália Kenner na mão atrás do balcão de vidro, querendo me cobrar o tino de um jeito particular e convincente.

Red Velvet Cupcake

Red Velvet Cupcake

Aí chegou o Red Velvet Cupcake. Esse pequeno veludo vermelho e saboroso me fez conhecer o Deus da minha avó. Descobri que Deus é um cupcake avermelhado.

Brownie da Maria

Brownie da Maria

Depois veio o Brownie. Eles o chamam de Brownie da Maria. Tá tudo explicado. Os ladinos chamaram o Pai, a Mãe e o Santo. Tão sagrado como o nome que carrega, amor de mãe quando dissolve na boca e explode em sabores do mais puro e imaculado chocolate.

Coxinha diferente

Coxinha diferente

Em seguida comi uma coxinha. Já me dava por satisfeito mas a maldita lombriga que habita o meu ser pediu. A Jéssica tem o tino pro negócio, fez eu me interessar pela “coxinha diferente”. PUTA QUE PARIU! exclamei quando comi. Nem a cara feia da minha avó quando eu falava palavrão foi capaz de segurar a interjeição, qualidade de quem adjetiva uma boa comida com palavrão.

Empada de carne-seca

Empada de carne-seca

Veio também uma empada de carne-seca. Deixei até cair uns desfiados de charque pro Santo, sabe como é. Sou ladino. E o Santo é DO CARALHO! Meu vô piscou o olho de vidro nesse momento.

A casa foi inaugurada neste mesmo dia, contando com uma boa frequência de outros ladinos que ocupavam suas cadeiras, enquanto o Fernando, mentor e proprietário da Fairyland mostrava que tinha o tino pro negócio.

Tu és ladino, einhô? Então toma o tino e vai conhecer esse lugar.

E que Deus te abençõe, meu filho! coincidentemente a mesma última frase que os dois me disseram antes de ir com Deus, Maria e o Santo. Porque eles ensinaram a “pedir bênção”, e eu fazia de ladino.

Fairyland Café & Cupcakeria

  • Endereço: Caminho dos Açores, 1740. Santo Antônio de Lisboa, Florianópolis.
  • Telefone: (48) ) 9132-3432
  • Horário: de terça à domingo, das 13h às 20h.
  • Aceita cartões: sim
  • Estacionamento: sim

You Might Also Like

2 Comentários

  • Responder
    dani garlet
    22 de Janeiro de 2013 at 10:56 pm

    Acheiiiii esse tal de blog que o Fernando, da fairyland me falou que tinha uma matéria “beeem bonitinha” sobre o café! hehehhe

    Amei o Comideira gente, bem bacana!

    Eu tbem fiz um post da fairyland, hehehe pq né, me apaixonei!
    http://www.danigarlet.com/2013/01/destino-fairyland-cupcakes/

    Beijo,
    dani

    • Responder
      Daniel Becher
      22 de Janeiro de 2013 at 11:36 pm

      Oi Dani,

      que bacana! fico feliz que você e o Fernando tenham gostado do post. Vou dar uma olhada no teu agora. Aliás, esses cupcakes do Fernando, vou te contar, heim? Coisa de outro mundo! 🙂

      Obrigado pela visita, estou assinando teu blog pra acompanhar também. Beijo!

    Comente