Geral

Não é você que detesta coentro. São seus genes.

Tão polêmica quanto certas jornalistas, o coentro é uma planta que divide multidões: há quem ame, há quem odeie. E, aliás, há muita gente que o odeia. Nos Estados Unidos, milhares de pessoas se reúnem em um site criado para… odiá-lo. No ihatecilantro.com “coentrofóbicos” dividem traumas e desprezo pela plantinha. Mas o que faz com que isso aconteça?

coentro2

Nos últimos anos alguns cientistas se dedicaram a entender essa preferência e perceberam que o desprezo pelo coentro deve-se, em boa parte, à nossa herança genética. Em um desses estudos, os geneticistas pediram para 527 gêmeos cheirarem um frasco com coentro, sem que eles pudessem identificar o que havia dentro. Cerca de 80% dos gêmeos idênticos, que tem quase a mesma carga genética, tinham a mesma opinião sobre a planta. Ou seja, quando um dizia gostar de coentro, o outro respondia da mesma maneira. Mas apenas 42% dos gêmeos bivitelinos (que compartilham cerca de metade do seu genoma) tiveram a mesma resposta. Esse teste foi o primeiro indício de que o gosto ia muito além de simplesmente gostar ou não, mas que seria determinado por um fator genético.

Em seguida, na esperança de tentar entender quais genes seriam responsáveis por isso, outros pesquisadores perguntaram a cerca de 25 mil pessoas se elas achavam que coentro tinha “gosto de sabão” ou não. Eles então identificaram duas variantes genéticas em comum ligadas à percepção do “gosto de sabão”.  A variante principal está presente em um grupo de genes para receptores olfativos, que influenciam o olfato. Um desses genes, chamado de OR6A2, está ligado diretamente a um receptor sensível a aldeídos, um dos compostos químicos que contribui para o odor do coentro. Desse estudo, saíram ainda mais algumas conclusões: o que incomoda os “coentrofóbicos” é o cheiro, e não o sabor. Sabemos que o olfato e o paladar estão diretamente relacionados (já falei disso aqui) e, no caso do coentro, a lógica é a mesma. Se tapar o nariz enquanto mastiga algumas folhas, o coentrofóbico não sentirá o sabor da erva. Parece haver algum componente aromático no coentro que lembra sabonete e que não é detectado por aqueles que gostam de comê-lo. Depois desses estudos, os cientistas identificaram ainda mais três genes que influenciam a nossa percepção de coentro: dois estão envolvidos com a degustação de alimentos amargos e um gene detecta compostos pungentes, como os de wasabi.

Bem, apesar das evidências científicas, a variação genética é responsável por apenas 10% da opinião sobre o coentro. Como não há opção de correção biológica, aqueles que detestam coentro possuem duas opções: evitá-lo ou adulterá-lo. Nesse caso, partir para um pesto e esmagar o coentro acelera a taxa de quebra das moléculas de aldeído – talvez removendo aquelas às quais os coentro-haters são mais sensíveis.

You Might Also Like

103 Comentários

  • Responder
    Ka
    22 de fevereiro de 2014 at 11:30 am

    I love coentro! !!
    I hate salsa!

    • Responder
      Alessandra Martini
      24 de fevereiro de 2014 at 4:11 pm

      Já dá para fazer um site resposta, ilovecoentro.com.br
      😉

    • Responder
      ophélia
      21 de outubro de 2016 at 6:58 pm

      eu amo comida com coentro

  • Responder
    Fabiana
    24 de fevereiro de 2014 at 4:30 pm

    Oi Alessandra, gostei muito da matéria, parabéns!! Tenho apenas um comentário sobre o uso do termo “carga genética” como sinônimo de “potencial genético”. De uma olhada neste link: http://geneticanaescola.com.br/wp-home/wp-content/uploads/2013/04/VersPress/Genetica-na-Escola-81-Artigo-08_Press.pdf

    • Responder
      Alessandra Martini
      25 de fevereiro de 2014 at 9:40 pm

      Oi Fabiana!
      Que bom que você gostou, obrigada.
      E você tem razão… Na hora de fazer o texto, tento deixá-lo mais compreensível para quem não está habituado a certos conceitos, e acabei me expressando meio mal… Mas obrigada pela “correção” e pelo artigo, que é muito bom.
      😉

  • Responder
    Jose P. Siqueira-Junior
    25 de fevereiro de 2014 at 7:03 pm

    bem lembrado e oportuno, Fabiana

  • Responder
    André
    25 de fevereiro de 2014 at 7:08 pm

    sei que não é o tema do post, mas queria tirar uma dúvida: onde eu acho Wagyu Striploin em floripa ou região?

    • Responder
      Alessandra Martini
      25 de fevereiro de 2014 at 10:37 pm

      Tive que pedir ajuda aos especialistas (obrigada, Guilherme) e, infelizmente, só acha em SP…

  • Responder
    silvio
    26 de fevereiro de 2014 at 1:36 pm

    sofria muito na Bahia, tudo tem cheiro de coentro, até o café…

    • Responder
      Alessandra Martini
      26 de fevereiro de 2014 at 6:20 pm

      Imagino! Eu adoro coentro, mas não o tempo inteiro né… 😉

  • Responder
    André
    26 de fevereiro de 2014 at 5:28 pm

    Alessandra, obrigado pela informação, acho então que não sendo em SP só nas filiais do Pobre Juan, que tem um prato com essa carne. Gostaria muito de experimentar, pena não vender aqui.

    • Responder
      Alessandra Martini
      27 de fevereiro de 2014 at 10:23 am

      É uma pena mesmo!

  • Responder
    Tânia
    26 de fevereiro de 2014 at 9:04 pm

    Quase vomito só de lavar o coentro, tive que jogar fora e fechar muito bem o saco de lixo…

    • Responder
      Mayara Arantes
      6 de agosto de 2016 at 5:02 pm

      Eu tbm. Só de sentir o cheiro… Écaaa

  • Responder
    Matos
    26 de fevereiro de 2014 at 9:48 pm

    Sou nordestino, o coentro pra mim é indispensável no feijão verde no picado de carneiro e em outras iguarias da nossa região. Essa conversa de genes é balela dos cientista. Tudo é questão de hábitos e costumes.

    • Responder
      Alessandra Martini
      27 de fevereiro de 2014 at 10:22 am

      Pois é, sorte sua de não ter seus hábitos e costumes influenciados por essa bobeira chamada genética, né?!
      🙂

    • Responder
      Patricia
      10 de junho de 2017 at 7:29 pm

      Eu sempre quis experimentar coentro… e nunca havia ouvido comentar sobre o gosto dele… e quando fui picar, senti o cheiro e gostei a princípio… mas ai do nada comecei a nausear … não entendi o pq… só sei que parece que o cheiro dele causa nausea, pois não é ruim mas me deu mal estar… fiquei um dia inteiro pensando no coentro

  • Responder
    Andre Orsini
    27 de fevereiro de 2014 at 10:32 am

    Nossa, sou de Minas e morei no nordeste por sete anos. Amava aquele lugar, mas o coentro era meu inimigo número um. Eu ODEIO coentro, mais do que todas as coisas na vida.
    Uma dica pra quem não curte coentro, dizer que é alérgico e que se comer coentro a glote fecha. Só assim para as pessoas entenderem e não usá-lo.

    • Responder
      Alessandra Martini
      27 de fevereiro de 2014 at 5:38 pm

      Acho que é a melhor solução, mesmo! 🙂

    • Responder
      Michelle
      26 de junho de 2015 at 9:46 am

      Minha glote não fecha, mas me dá uma diarréia… rs!!
      Alessandra sabe qual a substância dele que pode desencadear o piriri?
      Eu detesto ele por causa disso, me da até calafrio só de sentir o cheiro…

    • Responder
      flávia j
      16 de novembro de 2015 at 9:59 pm

      Caraca, tu morou sete anos no nordeste e odeia coentro? Como tu sobreviveu, amigo? O.o

  • Responder
    Cida Dias
    27 de fevereiro de 2014 at 11:01 am

    Eu bem que gostaria de apreciar a planta, gosto de comer vegetais, adoro criar saladas, mas o coentro e não consigo comer. Causa-me mal estar, enjoo… assim como o nabo e o rabanete. Sinto pesar por isso. Vou experimentar comer sem respirar.

  • Responder
    Eivor
    27 de fevereiro de 2014 at 2:58 pm

    Olá Alessandra, muito legal sua matéria! Você teria as referências dos estudos apontados com as porcentagens exibidas? É sempre bom ver pessoas dinâmicas divulgando a ciência! Parabéns!!
    Ps: I love coentro!

  • Responder
    Raquel
    27 de fevereiro de 2014 at 3:28 pm

    Adorei a explicação!!!! Mina irmã ama coentro; eu já detesto. Pra comer tenho que retirar o “excesso”. Será que essa explicação vale para cominho?!

    • Responder
      Alessandra Martini
      28 de fevereiro de 2014 at 12:54 pm

      Bom saber que resolvi as divergências entre irmãs! hahaha
      Olha, não encontrei nada provado para cominho, mas o odor dele provavelmente também determina a preferência… 🙂
      Se eu encontrar uma prova, conto em breve.

  • Responder
    Leonardo
    27 de fevereiro de 2014 at 8:49 pm

    Além do coentro eu sinto a mesma repulsa pelo cominho. Seu gosto e/ou cheiro para mim lembra axilas ao natural depois de um dia de trabalho braçal.

    • Responder
      Priscila
      31 de agosto de 2017 at 6:51 pm

      Pra mim lembra exatamente isso! Senti o cheiro pela primeira vez e tive esperança q fosse só o cheiro, mas revoltou meu estômago. Claro q eu não tentei “não sentir o cheiro”…

  • Responder
    Anderson Diniz
    28 de fevereiro de 2014 at 11:30 am

    Olá Alessandra, parabéns pela matéria!!! Finalmente a minha esposa entedeu a sua repulsa em relação ao coentro. Graças a sua preferência, tive que comer sozinho uma moqueca capixaba que continha coentro!! Sugestão: dá pra fazer uma matéria sobre batata doce? Deve haver algum gem que não me favorece…

    • Responder
      Alessandra Martini
      1 de março de 2014 at 6:56 pm

      Oi Anderson!
      Tenho certeza que comer uma moqueca sozinho não deve ter sido um super sacrifício! 😉
      Se eu encontrar algo sobre a batata-doce, pode deixar que escrevo, sim. Agradeço a sugestão!

  • Responder
    Irene Monteiro
    28 de fevereiro de 2014 at 9:17 pm

    Alessandra, adorei essa matéria. Muita coisa se explica. Comigo acontece uma coisa um pouco diferente. Eu não gosto do paladar mas o problema é sério mesmo é na digestão. Se um prato tem coentro (mesmo que não se perceba imediatamente) fico “conversando” com seu sabor o resto do dia. Não faço a digestão.

  • Responder
    Angela
    28 de fevereiro de 2014 at 10:31 pm

    Minha filha me mandou essa matéria e me senti muito normal, finalmente, pois nao posso sentir o cheiro do coentro. Se vou a feira evito passar perto. Não gosto de usar a palavra odeio, mas eu odeio coentro. Não é somente nao gostar, o cheiro me faz mal fisicamente.

    • Responder
      Alessandra Martini
      1 de março de 2014 at 6:57 pm

      Pode se sentir bem “normal” então, porque muita gente por aí também abomina coentro… 🙂

  • Responder
    Andrew Robert Walsh
    1 de março de 2014 at 9:44 am

    Adoro estudar genética!! Sempre imaginei que quase tudo estava ligado a genética!
    Segue um parabéns duplo: 1 pela matéria e 2 pela interação com os comentários. 😀

  • Responder
    Alessandra Martini
    4 de março de 2014 at 10:02 pm

    No fundo, tudo está mesmo, talvez a gente não saiba ainda…

    Obrigada, obrigada! 🙂

  • Responder
    Helio
    15 de março de 2014 at 3:23 pm

    Muito boa a matéria, mas coentro não dá. Quando tem só um pouquinho é muito bom porque ainda consigo tirar esse um pouquinho.

  • Responder
    Ricardo
    10 de dezembro de 2014 at 3:34 pm

    Oi, gostei muito da sua pesquisa, mais queria ressaltar algo que no meu caso acontece. Eu odeio coentro desde o sabor ao odor, mais não fica só nisso. Quando eu como coentro desde quando passa pela garganta dá uma sensação de estar arranhando a mesma até chegar no meu estomago e eu passar o dia inteiro com dor e relembrando esse tempero maléfico. Isso seria algo genético ou algum tipo de alergia? Atualmente estou fazendo um trabalho em Belém-Pa e praticamente todos restaurantes usam esse tempero.

    • Responder
      Alessandra Martini
      29 de dezembro de 2014 at 9:27 am

      Oi Ricardo!
      É possível que você tenha, sim, algum tipo de alergia ao coentro. Existem vários temperos que podem gerar reações alérgicas assim, em alguns casos podendo até ocorrer anafilaxia. Por sorte, você não gosta do sabor, então não tem muito problema em evitá-lo… 😉

  • Responder
    Claudio
    18 de dezembro de 2014 at 12:47 pm

    Estou morando em Manaus devido ao trabalho.
    Aqui não consigo me livrar do coentro. Ele me persegue.
    Tem coentro no café da manhã, no almoço, no jantar, no doce, …

    Eu odeio coentro.
    Sou mineiro e passei grande parte da vida em SP.
    Votarei a morar em SP em 2015.
    Ficarei livre desta peste chamada coentro!
    Meu pior inimigo: coentro!

    Eu odeio coentro.
    Eu odeio coentro.(x 1000^10000!)
    Eu odeio coentro. (infinito fatorial)

    • Responder
      Alessandra Martini
      29 de dezembro de 2014 at 9:27 am

      Hahaha. Te desejo um 2015 livre de coentro!

  • Responder
    Daniela
    18 de dezembro de 2014 at 12:50 pm

    Meu namorado mora em Manaus e reclama muito de que lá todas as comidas são feitas com coentro. Achava que era pura implicância dele com esse tempero, mas foi interessante descobrir que essa intolerância abrange uma considerável parte da população.

  • Responder
    Claudio
    18 de dezembro de 2014 at 12:55 pm

    Estou morando em Manaus devido ao trabalho.
    Aqui não consigo me livrar do coentro. Ele me persegue.
    Tem coentro no café da manhã, no almoço, no jantar, no doce, …

    Eu odeio coentro.
    Sou mineiro e passei grande parte da vida em SP.
    Voltarei a morar em SP em 2015.
    Ficarei livre desta peste chamada coentro!
    Meu pior inimigo: coentro!

    Eu odeio coentro.
    Eu odeio coentro.(x 1000^10000!)
    Eu odeio coentro. (infinito fatorial)

    (corrigir “votarei” para “voltarei”)

  • Responder
    Fábia
    27 de dezembro de 2014 at 1:28 am

    Sempre achei que tinha algum problema comigo por achar que coentro tem gosto de sabão…que alívio saber que não sou a única, porque meu marido diz que é loucura da minha cabeça (ou do meu paladar).
    Sou do Rio Grande do Sul, mas moro no México e, como no norte e nordeste do Brasil, aqui todos os pratos levam coentro. Eu sempre peço nos restaurantes para não colocarem para mim, mas às vezes vem do mesmo jeito e simplesmente não dá para comer. É tão forte a minha ojeriza, que evito chegar perto da prateleira do supermercado onde fica o maldito.
    Como você, Alessandra, sou cientista (bióloga, especialista em genética e biologia molecular) e amo a cozinha (acabo de formar-me em alta cozinha no Le Cordon Bleu do México), mas só hoje fiquei sabendo que há uma explicação científica para esse ódio ao coentro. Muito obrigada!

    • Responder
      Alessandra Martini
      29 de dezembro de 2014 at 9:31 am

      Oi Fábia!
      No México deve ser complicado evitar coentro mesmo! E com o sabor acentuado, mesmo adicionando pouco ao prato já dá para sentir o gosto…

      Acho que é coisa de cientista mesmo amar cozinha… hehe 😉

      Obrigada pelo comentário!

    • Responder
      Milton
      21 de março de 2015 at 9:00 pm

      PQP como é ruim este tal de co……… não consigo nem escrever, EU SIMPLESMENTE DETESTO.

  • Responder
    Jean Delefrati
    3 de março de 2015 at 11:53 pm

    Pra mim não é cheiro de sabão, é claramente cheiro de maria-fedida…

  • Responder
    Lucia
    23 de junho de 2015 at 8:33 pm

    O D E I O, não dá nem para chegar perto, se colocar uma folhinha sequer na comida vai tudo pro lixo!

  • Responder
    Raquel
    24 de junho de 2015 at 11:21 pm

    Interessante a reportagem, mas não concordo com a influência da genética, porque lá em casa meu pai, minha mãe e meu irmão adoravam coentro e eu sempre detestei. Não concordo também com hábitos e costumes, pois meu pai era nordestino e em casa o coentro sempre estava em diversos pratos. Pelo simples cheiro eu não comia, exemplo: comida guardada na mesma vasilha. A minha parte da comida era sempre tirada antes de colocar o coentro. Observação: eu nunca fui exigente com comida, exceção coentro e pimentão verde.

    • Responder
      Alessandra Martini
      13 de julho de 2015 at 1:29 pm

      Oi Raquel. Obrigada pelo comentário.
      Talvez seja preciso entrar mais profundamente no assunto “genética” para poder dizer que “não concorda” com isso, certo? Entender que variações genéticas ocorrem dentro de uma mesma família etc etc etc. 🙂

  • Responder
    Antônio claret gulla
    24 de junho de 2015 at 11:23 pm

    Tenho tanto pavor de coentro que quando eu morrer,se no meio das flores vier um ramo de coentro eu me levanto na hora do caixão

    • Responder
      Alessandra Martini
      13 de julho de 2015 at 1:30 pm

      Cancelem a ciência. Descobriram o segredo da imortalidade!!! 😛

    • Responder
      Ana
      14 de agosto de 2015 at 4:15 pm

      Morri de rir com esse comentário, me identifiquei totalmente! Não há NADA pior que coentro na minha opinião!
      Viva a salsa! rs

  • Responder
    Rafael
    25 de junho de 2015 at 12:34 am

    Coentro é a coisa mais nojenta e asquerosa que tive o desprazer de experimentar na minha vida. Se depender de mim pode dar uma praga e varrer essa coisa nojenta do planeta.

  • Responder
    Graça Lima
    25 de junho de 2015 at 3:38 am

    Então acho que este problema genético pode ser reversível. Sou de Minas e o coentro não é um tempero usual por aqui. Acho que só fui conhecê-lo em adulta, quando comecei a degustar as moquecas capixabas. Eu detestava coentro. O cheiro então… Fazia-me lembrar sovaco suado. Quando criança não gostava de comer na casa de uma tia, porque os talheres eram de fracalanza e eu sentia um gosto característico neles. Minhas primeiras impressões do sabor do coentro fizeram-me lembrar do gosto do talher da minha tia (rsrs, não me peça explicações). Só fazia moqueca sem coentro. Mas de tanto frequentar o Espírito Santo, não consegui mais vencer este tempero e resolvi dar uma chance ao seu aroma e sabor. Tentar descobrir porque este matinho encanta tanto os capixabas. Aprendi a respeitá-lo e entendê-lo, não sei como. Acredita que agora adoro coentro?

    • Responder
      Claubert
      26 de junho de 2015 at 12:49 pm

      Interessante esse “gosto” de talher….pois, o gosto me lembra algo estranho também, do tipo, mascar uma latinha de alumínio (dessas de refrigerante)…..e não me peça explicações ….rsrsrs

    • Responder
      Alessandra Martini
      13 de julho de 2015 at 1:35 pm

      Que bom, Graça!
      Acho que todos nós temos umas associações esquisitas de paladar quando criança, que carregamos conosco e só se estivermos dispostos a tentar novos sabores podemos desfazê-las. Eu, por exemplo, odiava peixe, frutos do mar e tudo que fosse aquático até boa parte da minha vida adulta. A primeira vez que comi sushi, quase morri de nojo. Mas, hoje em dia, quase morro é de tanto comer… Ainda bem 🙂

  • Responder
    Érika
    25 de junho de 2015 at 7:35 am

    Sou coentrofóbica, descobri só adulta, pois coentro não fez parte da minha infância, mas me lembro que gostava de salsinha e que tinha uma folhinha parecida que eu não gostava nem olhá-la e claro, que tinha um cheiro horrível. Recentemente fui ajudar num curso de yoga, na cozinha e quando chegou um maço de coentro, do tamanho de um buquet de rosas eu comecei a passar mal, suar frio, tentei ficar por lá mas acabei tendo que me afastar e tive febre, coisa que não tenho nem quando adoeço (o que é raríssimo também), enfim só pra dizer que a sensibilidade pode ir além do cheiro e do gosto de sabão.
    Descobri do que se tratava num restaurante chic, almoçando com um cliente que tinha acabado de conhecer pessoalmente, me servi de guaca mole e na primeira bocada cuspi tudo que tinha na boca, foi bem chato, mas nesse momento acabei descobrindo o nome, minha aversão e de lá pra cá tentei pesquisar sobre isso (mas só em portugues) e não tinha encontrado nada. Agradeço por trazer a discussão e um pouco mais de luz sobre o assunto.

    • Responder
      Alessandra Martini
      13 de julho de 2015 at 1:36 pm

      Obrigada pelo comentário, que bom ter ajudado a entender um pouco a sua relação com o coentro!
      E nem tente chegar perto de comida mexicana! hehe 😉

  • Responder
    Ismair
    25 de junho de 2015 at 2:42 pm

    I love Coentro!
    “Salve o Coentro o temperão dos temperões rsrs!!!”

  • Responder
    adriano
    25 de junho de 2015 at 3:01 pm

    Reavivando o tópico. Coentro deriva da palavra em latim koris, que significa percevejo, ou maria fedida como conhecemos, e a planta leva esses nome devido aos tipos de aldeídos produzidos por ela serem da mesma classe das do inseto.

    • Responder
      Alessandra Martini
      13 de julho de 2015 at 1:37 pm

      Obrigada pela contribuição! 🙂

  • Responder
    Márcia
    25 de junho de 2015 at 4:05 pm

    Olá, sou amante de coentro e gostaria de saber se é verdade que ele ajuda a eliminar metais pesados do organismo.
    Obrigada

  • Responder
    Márcia
    25 de junho de 2015 at 4:06 pm

    Olá, sou amante de coentro e gostaria de saber se ele ajuda a eliminar metais pesados do organismo.
    Obrigada

    • Responder
      Alessandra Martini
      13 de julho de 2015 at 1:38 pm

      Oi Márcia. Não sei te responder isso agora, mas vou tentar me informar e qualquer coisa volto a escrever. 🙂

  • Responder
    Ingrid
    25 de junho de 2015 at 5:34 pm

    DETESTO COENTROOOOO ECAAAAAA, ARGH, É MUITO RUIM!

  • Responder
    Renata
    25 de junho de 2015 at 7:19 pm

    Adoro cheiro verde, no Sul consumimos muita salsa e cebolinha verde. Numa viagem ao Nordeste, fui apresentada ao coentro, e juro, não faço questão de voltar lá só pra não ter q comer esse tempero horrível de novo. Praticamente tudo o q eu comia tinha o tal coentro, q me deixava enjoada e com dor de cabeça. Não posso nem sentir o cheiro desde então, no entanto é fácil confundir sua aparência com a da salsa, por isso, sempre q vou comer algo q tem cheiro verde, me certifico q é só salsa, rsrsrs Ô gosto horrível q impregna tudo!

  • Responder
    Marisa
    25 de junho de 2015 at 10:24 pm

    Odeio coentro e amo salsa. Em minha família ninguém gosta de coentro. Ainda bem…

  • Responder
    Regina Célia
    25 de junho de 2015 at 11:41 pm

    Boa matéria. No meu caso, genético ou não, detesto até o cheiro.

    • Responder
      Alessandra Martini
      13 de julho de 2015 at 1:38 pm

      Obrigada!

  • Responder
    Astria Ferrão
    25 de junho de 2015 at 11:57 pm

    Eu passo muuuito mal. A cada nova experiência fica cada vez pior. Da última vez fiquei me contorcendo em cólicas no estômago, que ficou inchado feito um balão. Tive que tomar buscopan e colocar uma bola de água fervendo em cima. Isso pq já tinha vomitado antes! Depois de duas vias me contorcendo veio a enxaqueca violenta. Pra mim é um veneno!

  • Responder
    Luana
    26 de junho de 2015 at 2:27 am

    Meu marido é espanhol e detestava coentro quando me conheceu! Quando veio a primeira vez aqui, me perguntou o que se colocava em todos os pratos aqui que tudo tinha o mesmo gosto! Anos depois, viemos morar no Brasil, mais especificamente no NE e hoje ele AMA COENTRO!

  • Responder
    Claudia Sales
    26 de junho de 2015 at 3:05 am

    Gostei muito da matéria, e como descendente de nordestinos amo coentro.

    • Responder
      Alessandra Martini
      13 de julho de 2015 at 1:43 pm

      Obrigada Claudia!
      Meu vô também é nordestino, e por lá sempre rolou coentro também… Ainda bem! 🙂

  • Responder
    RONALDO
    26 de junho de 2015 at 3:25 am

    Moro nos EUA e quando visitei minha familia ha alguns anos me deparei com isso. Ninguém gosta de coentro. Eu super acostumado aqui principalmente pela comida mexicana nao me conformei.
    Preparei um peixe assado inteiro de maneira bem simples, sal pimenta e por dentro fatias de alho, azeite, cebola, salsa, cebolinha e coentro. Assei enrolado em papel aluminio e servi.

    Para minha surpresa todos comeram e disserão. ” é ate que assim ta gostoso ”
    O aroma do coentro assado é diferente de comel-lo crú.

    Se faço um espagueti a ultima coisa que coloco são, salsa e coentro e so com o calor da massa pronta reviro um pouco e pronto para não cozinha demais.

    • Responder
      Alessandra Martini
      13 de julho de 2015 at 1:40 pm

      Também estou morando nos EUA e aqui não tem muita opção, né?! Sempre vamos nos deparar com coentro, principalmente em algumas regiões…
      Eu também gosto e acho que a maneira de cozinhá-lo faz toda a diferença!

  • Responder
    Lets
    26 de junho de 2015 at 9:21 am

    Não gosto de coentro, pois para mim ele tem cheiro de Nezara viridula, o conhecido inseto Maria-fedida… 😛
    Entretanto há relatos de que o uso do coentro é importante para pessoas que fazem quimioterapia.

  • Responder
    jocelito
    26 de junho de 2015 at 10:40 am

    o mesmo vale para o horrível cominho?

  • Responder
    Raul Rodrigues
    26 de junho de 2015 at 11:00 am

    Eu SEMPRE disse que coentro tem gosto de falta de ar! Eca! Não suporto nem o cheiro!

  • Responder
    Claubert
    26 de junho de 2015 at 12:46 pm

    Atualmente moro em Januária – MG. Preciso ir para o fogão para preparar minhas refeições, pois, aqui em Januária é coentro em tudo…arggggg…..

  • Responder
    Igor
    26 de junho de 2015 at 7:01 pm

    Adoro coentro!
    Detesto salsa!

  • Responder
    Simone
    26 de junho de 2015 at 8:46 pm

    Detestava coentro mas como meu marido é nordestino acabei me acostumando… mas em pequeníssimas quantidades. Alguns pratos como feijão verde com carne seca e baião de dois o coentro, para mim, é indispensável,,, vai entender! Hahahaha!

  • Responder
    eliane
    27 de junho de 2015 at 9:12 pm

    Odeio coentro! Que cheiro horrivelllll! Adorei a matéria!

    • Responder
      Alessandra Martini
      13 de julho de 2015 at 1:41 pm

      Que bom que a matéria não gerou o mesmo ódio que o coentro! 😛
      Obrigada!

  • Responder
    Alvaro Rosa Silva Filho
    28 de junho de 2015 at 5:19 pm

    NASCI NO ESPÍRITO SANTO – ES. NOSSO CARRO CHEFE NA CULINÁRIA É A MOQUECA CAPIXABA, SEM COENTRO, NÃO É MOQUECA. NÓS AMAMOS O COENTRO, DAR UM SABOR DIFERENTE AOS OUTROS TEMPEROS. MOQUECA É CAPIXABA O RESTO É PEIXADA…DESCULPE.

  • Responder
    Clara
    29 de junho de 2015 at 8:26 am

    Cresci na Bahia e não sei nem dizer quando uma comida leva coentro, pois é super normal e meu paladar não detecta. Para mim, é hábito. Por exemplo, a maioria das pessoas que n gostam são aquelas do sul/sudeste, que não o incorporam na alimentação diariamente.

  • Responder
    Evandro Cavalieri
    29 de junho de 2015 at 10:33 pm

    Somos paulistas e moramos 20 anos no Norte e hoje moramos no NE, eu ate tolero mas minha esposa odeia. Soa preconceituoso vc não gostar, mas o coentro é um tempero usado no mundo todo, inclusive na cozinha europeia e asiática. Tem algo pior que coentro que conheci no amazonas, é a Chicória do Norte …acho que eh 10 vezes mais potente que o coentro..simplesmente horrível. Não confundir com a que comemos no Sul, meio amarga e deliciosa com limão

    • Responder
      Adriano Freitas
      25 de agosto de 2017 at 10:14 am

      Só comecei a tolerar o coentro quando perdi parte do paladar. 🙁
      Até então nada me fazia comer, desde pequeno.

  • Responder
    Ailton Santana
    2 de julho de 2015 at 1:09 pm

    Discordo, eu quando era criança odiava coentro, depois cresci e comecei a gostar, acho delicioso, o mesmo aconteceu com a cebola.

    • Responder
      Alessandra Martini
      13 de julho de 2015 at 1:41 pm

      Eu também odiava tanta coisa quando criança que depois passei a amar. Por isso nos referimos a “paladar infantil”, ne?!

  • Responder
    Rafael Mota Pacheco
    14 de julho de 2015 at 6:30 pm

    Sabe onde tem Coentro? Na formula da Coca-Cola. 😀

  • Responder
    flávia j
    16 de novembro de 2015 at 10:23 pm

    Sou curitibana e por aqui o coentro não é muito utilizado. Quando há algo com coentro, eu consigo comer numa boa, porém, acho que o coentro não combina com todos os pratos, definitivamente.
    Já minha mãe odeia coentro de morte. Não come nem amarrada.

  • Responder
    Aline
    12 de abril de 2016 at 12:31 am

    Eu não sinto cheiro de quase nada e acho o gosto de coentro satânico.

  • Responder
    Jimmy Alves
    25 de abril de 2016 at 12:27 pm

    Eu nunca tive nada contra qualquer tipo de tempero, inclusive gostava muito do coentro. Na minha infância, no colégio serviam sopa, e era sempre na sexta-feira, e toda sexta feira eu chegava em casa com dor de cabeça, e teve uma época que minha mãe começou a usar muito o coentro para temperar a carne, e ainda mais em churrascos que a carna era temperada com a semente do coentro amassada com alho e cebola e na salada tinha coentro, resultado, todo churrasco eu tinha dor de cabeça, foi então que em um belo dia, faltou o tal do coentro no tempero, e nesse dia eu não tive dor de cabeça, aí minha mãe fez o teste e não usou o coentro em seus temperos, e minha crise de dor de cabeça ainda não tinha passado, foi aí que ela descobriu que usavam coentro na merenda da escola, e descobriram também que outras crianças na época sofriam de dor de cabeça na sexta-feira o dia da sopa temperada com coentro, desse dia em diante não como mais nada temperado com coentro e também não tive mais dores de cabeça.

  • Responder
    pedro
    6 de maio de 2016 at 12:24 am

    Quero informar aos que não sabem, que o coentro verde tem cheiro característico, idêntico ao cheiro e fedor de aranha “CAFOFO,” quando se sente ameaçada, lança o gás com ESTE cheiro horrível. imagine isso em comida,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,estraga qualquer paladar humano.

  • Responder
    Jefferson
    4 de julho de 2016 at 8:35 am

    Senhor, mas que repúdio a pobre da planta rs. Ri tanto com os comentários. Mas não tenho muita coisa contra o coentro. Não me recordo de antes ter comido algo com ele e acredito que eu experimentei por conta própria ao fazer um bobó de camarão. Falavam horrores do coentro, mas eu sou daqueles que preciso da minha própria opinião para definir algo em minha vida. Não tenho parentes nordestinos e nunca fui ao nordeste, talvez por isso não tenha tido contato antes com o odiado coentro hahahaha minha avó gaúcha, meu avô mineiro no RJ, ou seja, experiência em coentro zero. Voltando ao bobó, amo com coentro e o também odiado azeite de dendê.

  • Responder
    Nivan Teixeira
    3 de agosto de 2016 at 12:59 pm

    Desde de muito criancinha bêbê mesmo lembro do vexame de ter coentro na refeição
    sinto o cheiro de longe e me põe a perder qualquer sabor em que ele esteja presente meu cérebro dá sinal de alerta e nào consigo comer nada que tenha o mau cheiro verde.

  • Responder
    Bianca Vitali
    23 de agosto de 2016 at 12:20 am

    Coentro, coentros, coriander, cilantro….
    Em qualquer língua, não como de jeito nenhum. Tem lugares que colocam em tudo….ecaaaa
    Mas pode colocar salsa, eu amo.
    I hate cilantro

  • Responder
    Leonel
    19 de janeiro de 2017 at 9:03 am

    Eu tenho fobia de coentro! Já deixei o prato cheio em restaurantes tipo rodízio e fui embora. Arrepio só de lembrar do gosto e do cheiro! ECAAAAAA!!!!

  • Responder
    Marcia B. Lemieszek
    11 de abril de 2017 at 9:07 pm

    Para mim o coentro não tem gosto de sabão e sim de podre! É interessante pois parece que esse asco só apareceu há pouco tempo, antes eu não tinha problemas com o dito, agora não consigo comer. Como se explica????

  • Responder
    Ana
    7 de julho de 2017 at 11:17 pm

    Eu adoro coentro e detesto salsa. Acho o sabor da salsa horrível e enjoativo. Será que não gostar de salsa também é genético?

  • Responder
    carlos
    22 de agosto de 2017 at 7:13 am

    Em mim o cheiro do coentro é até aceito, mas quando coloco na boca me sinto insatisfeito. A salsa como bem, mas no suco vivo a salsa tem gosto que me lembra ovo. O ser humano é único por isso teremos sempre percepções diferentes.

  • Responder
    José Faccioli Jr
    2 de janeiro de 2018 at 3:45 pm

    Só para complementar, o coentro me faz tanto mal que já cheguei a parar no hospital por causa das dores abdominais que ele me causa!

  • Responder
    Amauri Arellaro
    22 de janeiro de 2018 at 6:23 pm

    Coentro é o único alimento que não como, mas sempre quando vou a feira pego uma folhinha e mastigo pra ver se meu cérebro processa, mas não consigo, porém ainda tenho esperança de gostar.

  • Comente