Rigatoni ao Molho Funghi e o Dia Mundial do Macarrão

O Macarrão é um alimento mundial. Não há país no mundo em que ele ainda não tenha sido experimentado ou de alguma forma se faça presente na cultura local. Sabe-se, também, que o Brasil é o terceiro país no mundo a consumir essa massa alimentícia. Mas pouco sabe-se sobre a verdadeira origem pois é difícil precisar. A Wikipedia nos fala em seu surgimento na China no século XIII embora todos achem que ele foi originalmente criado na Itália. O que os italianos fizeram, na verdade, foi difundir o seu uso na gastronomia e criar centenas de padrões e tipos de massas. Não é a toa que os nomes das massas são em italiano: penne, spaghetti, fusili, fetuccine etc.

E hoje, 25 de outubro, é comemorado o Dia Mundial do Macarrão. Isso porque nesta mesma data no ano de 1995 aconteceu o I World Pasta Congress, o primeiro congresso mundial da massas na cidade de Roma. E para comemorar a data o Comideria e um grupo de blogueiros amigos fizemos uma receita de macarrão de nossa preferência, e que você vai acompanhar na sequência.

Rigatoni ao molho funghi
Rigatoni ao molho funghi

Escolhi o rigatoni pois é originalmente um tipo de macarrão. Embora nós já tenhamos o hábito de chamar todos os tipos de massas de macarrão, o macarrão por essência é feito nesse formato de tubos, geralmente curtos. Mas é só uma frescura minha, o que vale é fazer macarrão. E escolhi os cogumelos secos e frescos porque é o meu molho preferido. Eu sou do grupo dos gordos que prefere o molho branco. Vamos a receita!

Ingredientes

Corte os cogumelos em tiras e a cebola bem picada
Corte os cogumelos em tiras e a cebola bem picada
  • 500g de rigatoni grano duro
  • 25g de funghi secchi
  • 200g de shitake fresco
  • 100g de shimeji preto fresco
  • 1/2 cebola
  • 200g de creme de leite fresco ou nata
  • 50g de queijo pecorino (queijo de cabra)
  • 100g de manteiga
  • Sal, noz-moscada e páprica picante à gosto

Como fazer o Rigatoni ao molho funghi

Meia hora antes de começar a preparar a receita, hidrate o funghi secchi num recipiente com 1 litro de água.

Numa panela grande comece a ferver 3 litros de água com uma colher das de sopa de sal fino ou duas de sal grosso.

Enquanto isso numa frigideira derreta a manteiga e refogue a cebola bem picada. Corte os shitakes e o funghi secchi hidratado em tiras. Já o shimeji você retira aquele “bulbo” central e separe os cabinhos.

Uma frigideira grande ajuda bastante nesse processo
Uma frigideira grande ajuda bastante nesse processo

Acrescente os cogumelos frescos e deixe começar a puxar na manteiga. Quando começarem a ficar dourados, coloque um pouco de sal e experimente. Lembre-se que o funghi secchi já tem um gosto bastante forte, então não convém salgar completamente agora. Escorra bem os cogumelos secos e coloque na frigideira. Refogue mais um pouco e veja se precisa acertar o sal, coloque o quanto você goste de páprica picante e noz-moscada.

Cogumelos já refogados
Cogumelos já refogados

Nesse momento eu coloquei o macarrão na panela para cozinhar. Na caixa do produto indicava 11 minutos de cocção, então calculei que tanto o macarrão e o molho estivessem prontos na mesma hora, mas fique tranquilo, importante é não deixar o macarrão passar do ponto. Se for o caso, na sequência da receita, diminua bem o fogo do molho para que eles cheguem juntos até o final.

Molho pronto
Molho pronto

Com os cogumelos refogados, e reduzidos (você vai notar que eles murcham uma barbaridade), adicione a nata ou o creme de leite fresco. Mantenha em fogo médio para que não talhe o creme de leite e nem que fique frio/cru, controle o suficiente para cozinhá-lo um pouco. Para finalizá-lo, rale um pouquinho do queijo pecorino, algo como uma colher das de café, misture bem e está pronto.

Agora você escorre bem o macarrão que al dente está cozido e traga para a frigideira onde vai anexar o molho. Caso você não tenha uma frigideira bem grande, faça o inverso: escorra o rigatoni, volte à panela do cozimento e leve até lá o molho.

Misture bem o macarrão e o molho com fogo baixo e sirva em seguida com um pouco de queijo de cabra ralado por cima.

E aí, curtiram a receita? Bora fazer?

Aproveite e veja também as receitas desta postagem coletiva feita pelos meus colegas blogueiros:

 

O Autor
Profissional de T.I, foodie por hobbie, aprendiz de churrasqueiro e entusiasta das culinárias regionais.

Comentários 14

  1. Aline – www.gastronomiaeoutrasfolias.blogspot.com
    Resp.

    Daniel…que delícia!

    25 outubro, 2012
    • Daniel Becher
      Resp.

      Né? muito!

      25 outubro, 2012
  2. Andrezza
    Resp.

    Nossaaa fiquei com água na boca viu!!!!!

    25 outubro, 2012
    • Daniel Becher
      Resp.

      Faz também, Andrezza!

      25 outubro, 2012
  3. Priscila – Saboreando Floripa
    Resp.

    DELÍCIA é o que tenho a dizer. Também sou do grupo dos gordos que preferem molho branco, hahaha.
    Só uma pergunta, vi que escreveste “shimeki”, é isso mesmo?
    Bj

    25 outubro, 2012
    • Daniel Becher
      Resp.

      hahaha, eu acho que estava pensando em temaki quando escrevi a receita. Já arrumei lá pro correto, obrigado pelo aviso, Pri! 🙂

      25 outubro, 2012
  4. Ju Sizinando Rossi
    Resp.

    Becher, adorei a tua receita. Eu amoooo cogumelos, mas também não me conformo com o tamanho que ficam essas belezinhas! Ehehhehee.
    Vou testar em casa.
    Bj

    25 outubro, 2012
  5. Everton Veber
    Resp.

    Não sou amigo dos cogumelos, mas sim de massas.

    Esse tipo de macarrão, o Rigatone, eu almoço quase todos os dias em um restaurante árabe, por incrível que pareça. É uma excelente massa, segura bem o molho.

    Aliás, pra mim, na preferência de pratos, a massa só vem depois do churrasco e do hamburguer 😛

    25 outubro, 2012
    • Daniel Becher
      Resp.

      Uma dica interessante para a massa segurar bem o molho é parar com a mania chata de colocar azeite na hora de cozinhar. Minhas massas melhoraram estrogonoficamente depois que parei com esse cacuete medonho 😛

      26 outubro, 2012
  6. Sabores com FAMA
    Resp.

    Gosto muito de Rigatoni, mas nunca fizemos com cogumelos. Essa receita é um ótimo incentivo para testarmos. abs Marcos

    25 outubro, 2012
    • Daniel Becher
      Resp.

      O difícil é achar cogumelos a preços honestos. Material complicado por aqui. Mas vale a pena testar sim 🙂

      26 outubro, 2012
  7. Pri
    Resp.

    Aé? Vou começar a não botar azeite. Veremos…
    Bjs

    29 outubro, 2012

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado.